Por que você não lê livros técnicos?

Blz, galera?

Esse post é uma mera reflexão sobre algo que percebo ser bem incomum entre os desenvolvedores de software: a leitura de livros técnicos.

Boa parte, senão grande maioria, simplesmente não lê. No máximo, algumas folheadas em um ou outro capítulo.

Então, ao me perguntar sobre o motivo para tal escassez de leitura, me vem de “bate-pronto” que a principal desculpa seria a falta de tempo (que é desculpa para tudo, não é?). E por faltar tempo, o mais prático e rápido é: pesquisar na Internet (São Google!).

Realmente, é inegável que temos hoje na web conteúdo de sobra para quem quer se capacitar: milhares de blogs técnicos (como este :)), podcasts, webcasts, cursos online, etc. Com certeza, todos são fundamentais e devem ser explorados ao máximo, mas, em defesa dos livros, argumento que:
– Um único livro agrega o que há de mais importante sobre o assunto central do mesmo, ao invés de tê-los “esparramados” em diversos artigos.

Não é possível pesquisar no Google algo que você nem sabe que existe! São os livros que mostram certos recursos que nós nem imaginamos. Então, sabendo de sua existência, é possível fazer pesquisas mais específicas na web e estudar mais sobre o assunto.

– Em um livro, vemos o conhecimento de anos de experiência dos mais renomados nomes da área. Todo este conhecimento não está disponível no blog do autor (ou está parcialmente).

– Seguindo a lógica do 2º ítem, são os livros que nos fazem ir atrás de mais material sobre seu autor (que muitas vezes nem conhecíamos).

– Um livro pode ser lido em qualquer lugar, mesmo sem Internet (não brinca?!).

– Eu, particularmente, prefiro ler o livro físico do que na tela do PC, que cansa demais a vista.

Quanto à falta de tempo, pura e simplesmente, por mais que seu dia seja complicado – acorda muito cedo para chegar ao trabalho, que é longe demais, faz faculdade à noite, cuida dos filhos, pratica musculação (ou qualquer outro esporte), etc – pergunto a você: é realmente impossível dedicar-se a leitura de 10 (apenas dez) páginas de um livro por dia, apenas 3 vezes por semana?

Fazendo as contas, seriam 120 páginas no mês, ou seja, mais ou menos 1/3 de muito livro por aí. Claro, existem muitos livros que são verdadeiras “bíblias”, com mais de 800 páginas. E daí? O importante é ler, mesmo que leve 1 ano! E não é preciso ler de uma só vez o mesmo livro. Dá para voltar àquele livro gigantesco mais tarde, após a leitura de outro(s).

De novo, é realmente impossível?

Outra possível desculpa seria a de que livros são caros. Mas quem disse que você precisa comprar duzentos de uma vez? Há vários livros em torno de 60, 70 reais. Que seja caro: mais de 100 reais. Compre apenas um a cada 3 ou 4 meses. Tenho certeza que muita gente gasta muito (mas muito) mais em baladas, cerveja e churrasco. Reserve um pouquinho para sua carreira.

CONCLUINDO

Livros são fontes inestimáveis de conhecimento e agregam demais para qualquer profissional, pois trazem bagagem de anos dos mais experientes profissionais da área, além de ajudar a solidificar várias práticas e conceitos no mercado.

Se você deseja ser um profissional de verdade, acima da média, dê atenção aos livros.

Tente responder a si mesmo: “por que eu não leio livros técnicos?”

[]s e boa leitura!

ps.:  Livros indicados <<aqui>>

Anúncios

16 comentários em “Por que você não lê livros técnicos?

  1. Você expressou um ponto de vista que mais te atrai, dando enfase na “perfeição” (que não existe) do livro técnico, não refletindo assim a realidade.

    As pessoas tem vergonha de falar que tem preguiça de ler livros, afinal, o chefe ou futuro chefe pode não gostar e por isso inventam varias desculpas. Eu mesmo tenho preguiça, acho um saco ficar lendo esses livros que dificilmente explicam algo sem dar uma volta enorme no assunto, falando coisas que em todo livro tem, acho que é para poder chegar nos mais ou menos 360 páginas que um livro tem, como você mesmo escreveu.

    Eu mesmo defendo o meu lado, não compreendo a utilidade de se perder horas lendo cansativos livros técnicos, escritos na maioria das vezes por pessoas que trabalham só na parte teórica do desenvolvimento, pessoas que não possuem experiência prática nessa área que para mim é como uma religião(tem coisas que não se explica, apenas acredita depois de ter feito na pratica).

    Você pode dar uma analisada nas salas de aula dos cursos da área de informática, veja os mais estudiosos e veja se eles são bons nas matérias de programação, isso é fato, os alunos que gostam mais de estudar, geralmente não são tão bons nas matérias práticas e são os que mais demoram a entrar em uma empresa do ramo. Aprofundando mais, você pode ver que os que mais gostam de estudar são os que mais rapidamente chegam aos cargos de chefe, o que isso não reflete qualidade(você conhece alguem assim 😉 ? )

    Conclusão, você pode até sentir orgasmos ao conversar com alguém que lê várias livros técnicos de autores renomados, mas se não for os nerds de plantão, que aprenderam tudo por osmose ou com a ajuda do São Google, os projetos que você lidera ficariam todos encalhados, jogando todos seus livros por ladeira abaixo.

    1. Discordo.
      1) Não ler porque o chefe não gosta?? Essa desculpa eu nem imaginava..Sério que li isso? Quem gerencia sua carreira É VOCÊ.

      2) Você fala como se todo livro fosse “encheção de linguiça”, o que não é verdade.
      Obviamente que existem livros ruins, basta saber escolher.
      A maioria dos livros renomados são de pessoas ativas na comunidade de desenvolvimento (foram ou ainda são programadores, como Kent Beck e o tio Bob, só pra citar 2)

      3) Cursos de graduação não são parâmetro. O cara pode ser excelente mesmo não tendo feito nenhuma faculdade. E mesmo que fossem, o outro lado também é verdade: conheço ótimos alunos que se tornaram programadores bem sucedidos.

      4) Se alguem chega à chefia por esse mérito (gostar de estudar), então parabéns a ela não é?
      Ruim é chegar a chefia só por ser puxa-saco e ser péssimo profissional.

      5) Seu último parágrafo fala como se ler livros excluísse todo o resto. E em momento nenhum eu disse isso.
      Pesquisar na Internet, estudar códigos de outros projetos, aprender praticando (o que também pode ser feito com exemplos de livros) também são extremamente válidos.

      6) Ainda no último parágrafo, não entendi a questão dos “nerds de plantão”… Quem estuda nos livros, não é nerd?

      7) Desenvolvedores profissionais “aprendendo por osmose”? Por isso tá faltando profissional qualificado…

      ps.: e nada de “religião” na história.. sem fanatismo por nada.

      []s

  2. Achei válido o argumento, porém acho dificil convencer alguém de que os livros são melhores na informação do que a internet.

    É importante ler livros, eu posso achá-los na internet também. (não brinca?)
    A internet é um conglomerado infinito de dados, o livro não.

    Mas acredito que sua critica sobre a “googlada” se refere a simplesmente ir dando um ctrl+c, ctrl+v que nem um doido, sem nem saber do que se trata.

    1. Olá
      Não é questão de ser melhor ou pior. É indiscutível o uso da internet como fonte de pesquisa e estudos!

      Mas 6 meses lendo um (ou alguns) bons livros agregam mais à bagagem do profissional do que 6 meses lendo artigos aqui e acolá (por mais que se faça isso diariamente). Como eu disse no post, o livro te mostra coisas que você nem sabia que existia e que, por isso, você nem saberia como pesquisar na internet (ou levaria muito tempo “camelando” pra descobrir).

      É claro que (BONS) cursos – presenciais ou pela própria web – agregam muito também.

      Enfim, para mim livros são fundamentais. Têm funcionado pra mim!

      []s

  3. Eai Robson tudo bem?
    Conheci seu blog através do Elemar, mas enfim vamos ao assunto.
    Concordo com o seu ponto de vista, vejo isso no meu dia a dia, as mesmas desculpas, e quando você questiona a pessoa sobre por que não estuda, recebo n respostas, as mais comun são que se você aprender a fazer o arroz com feijão esta ótimo para o mercado,e que acabam se considerando Sênior,ai e só da uma olhada no código do cidadão e ver as gambiarras.

    1. Tudo blz e vc?
      São pessoas acomodadas ou que não gostam do que fazem. Contentar-se com arroz e feijão é muito pouco né? Aliás, “contentar-se” é sempre pouco 🙂
      A consequência tá aí no nível da nossa área….

      []s e obrigado por comentar!

  4. Adorei o post e concordo 100% em tudo o que foi abordado.

    Sou desenvolvedora e tenho 1 filho de 1 ano e meio e estou esperando mais outro pra daqui a 2 meses. Trabalho o dia inteiro e quando chegam a noite e o fim de semana tenho que cuidar do bebê, da casa e do marido. Enfim, sempre cheia de atividades.

    O tempo pra leitura de um livro é muito raro, durante o dia estamos focados no trabalho e quando temos um tempo de descanso optamos por vídeo-aulas(no melhor dos mundos) ou alguma forma mais descontraída para aliviar a mente.

    A forma que encontrei pra conseguir estudar é aproveitar o dia em que ele dorme mais cedo. Outra saída foi optar sempre por eBooks, assim leio no tablet e celular sempre que tenho uma folga, seja no caminho de casa/trabalho ou intervalo em outras atividades. Vou lendo aos poucos. No momento estou lendo um de pouco mais de 1000 páginas, indo a passos lentos, mas foi a única forma que encontrei pra conseguir.

    Muita gente reclama de tempo, mas ser mãe de bebês e trabalhar o dia inteiro não é pretexto pra não ler, então qual outro motivo seria mais forte que esse?

    Abraços!

    1. Olá, Janynne!
      Obrigado pelo feedback.
      Todos nós temos muitas ocupações mas sempre há tempo.. é só se organizar. Afinal, faz parte da nossa profissão!
      Valeu pelo depoimento! Espero que sirva de motivação a todos.
      []s e tudo de bom pros bebês!

  5. Fala tiozão, esse é um post clássico seu. Eu também, lia muitos livros, depois passei a largar eles um pouco de lado e focar mais em exemplos e estudar código dos outros. Eu lia aquele monte de conceitos em livros e nunca via onde era utilizado. Aprendi muita coisa lendo, mas aprendi muita coisa levando porrada, com código de outros e com o Sr. Onisciente Google. De tanto você falar de livros, comecei a fazer minha coleção, porém nem li todos ainda. Diferente de livros de fantasia, drama, etc, livro técnico você tem que ter uma leitura mais cuidadosa, evito de ler mais de um livro quando estou lendo livro técnico, porque senão vira uma salada. Acho importante os livros, mas a prática como eu vi em alguns comentários, é válida também. É que eu vejo um caça as bruxas tanto de um lado quanto do outro. Tanto não pode ser pejorativo quem só lê quanto quem só vive de google, tem que ter um equilíbrio. Porque quem lê demais, vai querer aplicar milhões de coisas do livro e que na prática não encaixa muito (acho que já vimos muitos exemplos de projetos inacabados) e quem só fica em código, a base de codificação e opções para resolução de problemas é muito fraca.
    Abraços

    1. Fala, sobrinho.
      Como você bem disse, tem que ter equilíbrio. Conhecimento e prática, para se tornar habilidade.
      Mas ainda acredito que a base maior de conhecimento vem dos livros. Internet reforça, complementa ou instiga a procurar mais sobre o assunto.
      []s e feliz 2014!

  6. Olá, Robson.
    Muito bom o post, concordo plenamente com o que foi colocado.
    Nos últimos anos, com o crescimento massivo de informação disponível na internet, percebi o quanto os colegas de Desenvolvimento tem se atido apenas aos conhecimentos “googlaveis” . Nada contra esse pessoal, afinal já pertenci a esse grupo também.
    A conclusão de que cheguei é que a maioria deste pessoal aprende apenas o “como fazer” é não aprende o “porquê fazer”. Não se perguntam se esta é a melhor opção, a melhor maneira de se implementar, etc. Um fato que seria remediado se tivessem lido o livro sobre o determinado assunto.
    Eu particularmente, tenho tentado mudar isso, e venho lendo massivamente livros técnicos. Claro, não dispenso os bons fóruns e blogs, mas acredito que para aqueles que querem se tornar um desenvolvedor profissional e produzir software de qualidade, livros técnicos são essenciais.
    Well, this is my opinion.

    PS: O livro Clean Coder – Uncle Bob, foi um dos que me mostraram como livros técnicos são essenciais: http://www.amazon.com/The-Clean-Coder-Professional-Programmers/dp/0137081073

  7. Com certeza ler livros te dão uma robusteza muito maior em conhecimento. Abrem tua a mente para conectar os pontos e criar formas novas através de combinações de conhecimento. Te levam muito mais longe.

    Eu sempre acreditei que teoria vem primeiro e depois a prática. Precisa-se entender o que se faz antes de sair fazendo. E não é pelo fato de que se alguém não entender, então não faria (a maioria sai fazendo e nem sabe o que está fazendo. Aló programadores!), mas pelo fato de que entender profundamente o que se faz permite criar um universo muito maior do que simplesmente ter aprendido a fazer parafusos sozinho, por exemplo.

    Eu vi isso na minha universidade quando estudei Engenharia de Software. Lê-se muito pouco e por isso que as coisas ficam feitas “nas coxa”. Nos EUA, a média de leitura de livros nas universidades é de 29 livros/ano. No Brasil, não chega a 2/ano. Logo não há robusteza, né. Sim, é verdade, lendo livros você não sai programando já na hora, mas quando pega, ai eu quero ver quem é que se destaca não somente na hora de programar e sim na hora arquitetar, de chefiar e liderar equipes. Não desprezo a prática, mas nunca escolheria somente viver com ela.

  8. Fala Robson!
    Concordo com seus argumentos, eu particularmente não leio livros técnicos ( tenho 6 livros, 1 eu considero que realmente li os outros só uso pra consulta e olhe lá ), mas isto é por uma visão totalmente errada minha, atualmente vejo muito meninos aprendendo em fórum a programar ” Eu sou um dele…rs”, mas apenas aprendemos a fazer e não o conceito que esta por trás, tenho que admitir que de tanto aprender por “conta” agora na hora de aprender da forma correta tenho desânimo total, isso inclui faculdade também, pode até parecer loucura, mas se fosse pra voltar atras eu escolheria os livros para aprender e a internet para consulta… Vou fazer uma reeducação estudantil e focar mais em livros, vamos ver se assim consigo terminar esta graduação, mas confesso que estou quase indo embora…

    1. Olá, Mario
      Obrigado por comentar e desculpe a demora.
      Se entendi bem o seu “quase estou indo embora”, então só você mesmo é que sabe se deve ou nao seguir por essa área.
      Optando por ficar, minha opinião é que, para ter destaque, você deve estudar bastante e os livros tecnicos certamente lhe darão um grande diferencial. Deu certo pra mim.
      []s e boa sorte 🙂

Participe! Vamos trocar uma ideia sobre desenvolvimento de software!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s