Rolou neste último sábado, dia 15/11, no IME-USP, um “workshop” de design patterns com Ralph Johnson, um dos escritores do famoso livro “Design Patterns: Elements of Reusable Object-Oriented Software”. O livro completou 20 anos de lançamento  e ele esteve por aqui falando sobre isso.

Coloquei a palavra workshop acima entre aspas porque, ao contrario do título do evento, este foi na realidade uma grande palestra (pouco menos de 3h de duração). Os slides podem ser baixados <<aqui>>.

Abaixo, seguem alguns comentários a respeito do evento e dos slides mostrados. Como o tempo foi muito curto, ele parou no slide 43 (a 26 slides do final).

» Sobre a tão pedida 2a edição do livro, ele foi logo adiantando que não sabe se um dia ela irá sair! 😦

» Caso a 2. edição saia, ele disse que certamente Dependency Injection estaria nela (coincidentemente tenho uma série quase concluída falando sobre o assunto).

» Poucos padrões tratados: apenas Singleton, Iterator e Observer (com leves menções a Mediator e Adapter).

» Foco em uso recentes dos padrões mencionados nas linguagens atuais:
—— As populares funções sobre coleções (forEach, map, reduce, filter, select entre outras) como um uso mais atual e limpo de iterators.

—— No caso do Observer, o uso de eventos como parâmetro do método que notifica os “observers” e bibliotecas com suporte a data binding (evitando a notificação explícita dos interessados – comum em bibliotecas Javascript).

—— Programação Reativa (uso de Iterator com Observer). Assunto que está na minha fila de estudos. Pretendo escrever algo em breve.

» Ele finalizou falando sobre as já conhecidas falhas ao se utilizar design patterns: dar ênfase aos padrões como um fim ao invés de um meio de se chegar a um bom design e acreditar que algo é benéfico só porque foi usado algum design pattern.

» Perguntado sobre o futuro dos padrões do livro, ele também (obviamente) não soube prever o que irá acontecer com eles (é possível que o avanço das linguagens acabe inutilizando alguns deles, por ex.).

» Havia 20 e poucos participantes apenas. Sinceramente, esperava um número muito maior (na hora fiquei sabendo que o limite era de 40). Não sei se a divulgação foi ruim, se foi por causa do feriado ou se realmente não há muitos interessados no assunto… Lastimável!

» Agora tenho o livro autografado pelo Ralph Johnson!

Resumindo, acredito que o evento poderia ter sido muito melhor se o tempo de duração fosse maior e se tivesse rolado alguma coisa pratica. No entanto, valeu pela experiência em ter conhecido um cara influente na nossa área, cujo trabalho ainda é atual mesmo após 20 anos.

É o que eu sempre digo e repito: mais foco nos conceitos e não em ferramentas.

“That’s all, folks!”